terça-feira, dezembro 27, 2005

Justiça social vs igualdade social

Todos quantos defendem a justiça social como sendo um caminho para a igualdade social partem, deduzo, do pressuposto de que somos todos clones uns dos outros e produtos da mesma formação, com personalidade e capacidade de produção comuns. Mas não somos. Somos antes uma mistura variadíssima de individualidades diferentes.
Se assim é, alguns produzem mais e/ou melhor que os outros. Daqui formo a minha opinião, de que a igualdade social é, na verdade, socialmente injusta. É tudo uma questão de mérito.

10 comentários:

Elise disse...

shiu, shiu, não fales em meritocracia, senão ainda te chamam fascista. :p

Gonçalinho disse...

Nada a que já não esteja habituado.
Por acaso ainda não fui pessoalmente chamado de reaccionário...

Pinto Ribeiro disse...

reaccionário e fascista...tudo koisas de eskerda. mas tá bém. eu tbém sou a favor da seleccão das espécies, aliás, dos méritos. boa tarde e um abraço Kamarada.

ZP disse...

Esqueces-te do resto do racioninio, caro Gonçalinho... Então as pessoas que desempenham as mesmas funções com o mesmo aproveitamento e são premiadas de forma diferente? Por certo já terás visto gente na faculdade a ter notas em td semelhantes e a terem notas finais diferentes (isto é só um exemplo como muitos no mercado de trabalho)! A justiça social e a igualdade social não são importantes nestes casos? E acima de tudo socialmente MUITO justas?

E tb não referiste que a justiça social encarrega-se de recompensar desempenhos diferentes com recompensas diferentes enquanto que a tal igualdade, que tanto medo te mete, apenas se aplica quando os desempenhos são iguais. Quando alguns produzem mais que outros se são tratados da mesma forma não é um problema de igualdade, cm dizes (pois esta nem se deve aplicar nestes casos), e sim de justiça social!

Só posso concordar com a última frase, é tudo uma questão de mérito! Se produzes mais deves ser mais recompensado (justiça social) de forma a ser elevado aos teus "iguais" (igualdade social) e se produzes o mesmo que alguém que recebe menos que tu deves receber o mesmo que ele (justiça social) e ficar no mesmo patamar que ele (igualdade social). Realmente uma coisa leva a outra mas só a vejo como socialmente positiva, justa e como um bom pilar no qual se pode contruir uma sociedade justa!

abtursio disse...

zp mai nada, ou melhor so mais uma coisa quando se fala em igualdade social, esta-se a falar em igualdade de estatuto para as profissões e muito menos com a meritocracia que todos independentemente so seu plano politico defendem. facistas, reacionarios revolucionarios de extrema etc.

abtursio disse...

zp mai nada, ou melhor so mais uma coisa quando se fala em igualdade social, esta-se a falar em igualdade de estatuto para as profissões e muito menos com a meritocracia que todos independentemente so seu plano politico defendem. facistas, reacionarios revolucionarios de extrema etc.

Gonçalinho disse...

ZP: Estás enganado. A esquerda Portuguesa define define como igualdade social a supressão dos "demasiado" ricos e dos "demasiado" pobres. Muito bonito, mas achas que o Belmiro de Azevedo é rico por acidente? Quanto às falhas de avaliação de que falaste, no caso da faculdade, não têm a ver com o sistema, mas com a fiscalização e com a honestidade individual de cada um. Se quiseres discutir o sistema de avaliação em si, fa-lo-ei com agrado noutra altura.
Abtúrsio: Achas que todos os pedreiros merecem o mesmo ordenado? Não haverá um ou outro que trabalhe mais e melhor que mereça prémio? Mas aí também entraria com contratos individuais de trabalho que a esquerda demoniza, escudada na constituição Portuguesa. A obrigatoriedade do contrato colectivo é contrária à meritocracia.

vasconovais disse...

Gosto muito da expressão:
"vou fazer pela vida!"
Lembrei-me agora que se todos fizessem "pela vida" aí sim estaríamos todos a ocupar (mais cedo ou mais tarde) o lugar que merecemos!

Inté!

abtursio disse...

isto dos blogs tem asua piada, é muito facil atirar areia para os olhos e deturpar. eu disse igualdade enter profissões em termos de estatuto e de salario e n~
ao enter individuos da mesma profissão pois se um não trabalha deve ser penalisado

Gonçalinho disse...

Nem as profissões têm todas a mesma importância, amigo Abtúrsio. Existem trablhos que exigem investimento pessoal e aprendizagem específica. Tu és Biólogo mas consegues pintar uma parede mais facilmente que um pintor de paredes consegue fazer o teu trabalho, ou não? Quantos doutoures e engenheiros não estão a trabalhar nas obras neste país? E quantos trolhas estão a trabalhar como doutoures ou engenheiros? (como engenheiros acredito, a julgar por algumas obras que por aí se vêem, como nas estradas)