sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Uma questão de disponibilidade

Sempre que vejo as grandes manifestações dos muçulmanos nos países em que são maioritários e infiltraram a sua religião nas leis, lembro-me de um comentário que um tio meu fazia há uns anos atrás. Este meu tio chamou-me a atenção para a frequencia com que estas massas populares saem à rua, em pleno horário de trabalho. Ou o número de desempregados nestes países é avassalador, ou aquela malta não leva o trabalho a sério. Constantemente na rua, aos berros, prometendo morte a porcos e a imperialistas, a infiéis e a pecadores de opinião.
Nem as greves Portuguesas são tão frequentes, e já são boas machadadas na produtividade nacional.

2 comentários:

spartakus disse...

....sejamos sérios em questões sérias...que tal pedir uma opinião ao patrão desses países extremistas, os u.s.a.?...um abraço.

Elise disse...

lol!!! ahahahahahahhh!!!