sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Como?... Não percebi...

A princípio pensei que se tratasse de um impedimento a que um cidadão tenha casa de férias, assim como quem combate elitismos de forma fascizóide. Mas a declaração do Secretário de Estado Eduardo Cabrita, em que este diz que "haverá parâmetros mínimos de consumo a partir dos quais se considera que a casa não é devoluta", fez limitar a minha interrogação aos limites que estes génios da comédia pretendem, então, impôr. Mas não foi aí que a notícia me deu a volta à paciência.
Quando o Secretário de Estado diz que "é preciso incentivar a recolocação desses fogos no mercado", vem-me logo à cabeça as recentes mudanças na regulamentação do mercado imobiliário (especialmente o de aluguer). Assim, o que o Governo nos diz é que se quisermos alugar um imóvel, não podemos fazê-lo segundo as leis de mercado, e logo a seguir vem dizer-nos que somos obrigados a entrar nesse mercado viciado...
Será que há aqui algo que me escapa?

3 comentários:

spartakus disse...

escapa, certamente. a ti e a mim. passa pela Elise, respondi-te lá. um abraço Kamarada.

Aves Raras disse...

É a prova de que vivemos num regime que é uma espécie de "Liberalismo de esquerda". E acéfalo.

Elise disse...

servidão ao estado!