domingo, novembro 09, 2008

Boa oportunidade para avançar com a ditadura

"FMI pede a G20 que lhe atribua papel principal na regulação mundial"


Mesmo com a melhor das intenções...

3 comentários:

O Peregrino disse...

As intenções não podem ser boas de toda esta gente. Pessoas que mexem no grande dinheiro não podem estar mais preocupadas com o bem estar do indivíduo humano mais que na manutenção do dinheiro. O "bem comum" é sempre para estes um valor maior, por isso estaremos, debaixo da sua alçada, sob risco de sermos considerados males menores. Será que alguém pensa mesmo que esta gente não leu Orwell, Huxley, Zamiatine? Será que não conhecem os perigos? Conhecem, mas usam-nos a seu favor. A queda do homem livre é a sua garantia de continuidade no sucesso...

O Peregrino disse...

É neste ponto que o extremo do capitalismo toca o totalitarismo de toda a espécie... No final, apenas o indivíduo sai prejudicado, para que o pequeno grupo de privilegiados prevaleça e reine ad eternum. A lição é a mesma que foi ensinada a anteriores gerações, e eles sofreram nela e sobre ela escreveram. Como aprenderemos nós; antes ou depois de ela desabar sobre o nosso espírito livre?

Diogo disse...

No Daily Show de Jon Stewart, Eugene Jarecki desmonta as esperanças ingénuas dos apoiantes de Barack Obama

Jarecki: O que aconteceu foi que o nosso país mudou. O meu livro mostra como o estilo de guerra americano substituiu o estilo de vida americano… Os Constitucionalistas queriam uma República modesta, que não andasse sempre em guerra, pois sabiam – pelos Britânicos – que, se o país se envolver constantemente em guerras, o Presidente vai dizer mais frequentemente ao povo: "É tempo de guerra. Não há tempo para liberdades cívicas, não há tempo para deliberar, não há tempo para decisões racionais." Não queriam isso. Disseram: "Foi assim no tempo dos Britânicos. Criemos um Governo inteligente, que não possa estar sempre em guerra."

Stewart: Qual o máximo de tempo que estivemos neste país sem participar em alguma guerra?

Jarecki: No últimos 200 anos, um ou dois anos. Foram feitos estudos. É um estado de guerra permanente e, de certa forma, é terrível, mas é algo que todos podemos mudar.

Stewart: Não vê isto como uma questão entre Democratas e Republicanos. É o tipo de coisa que ambos os partidos… Este envolvimento dos lóbistas com as empresas não muda muito de Administração para Administração.

Jarecki: Não, de todo. As forças que controlam a nossa entrada ou não numa guerra, francamente não querem saber quem está na Casa Branca, quem está na Sala Oval,. Interessa-lhes o paradigma, a ideia de soberania americana no mundo, a forma como nos impomos e espalhamos a nossa marca.

Vídeo legendado em português