segunda-feira, setembro 24, 2007

Respiremos

Apesar de parecer, eu ainda não morri. Estou vivo, e recomendar-me-ia, se tal gabarolice não fosse um pouco demais, até para mim. Estou de volta a Trefforest, numa casa nova ainda sem ligação à rede. Daí a ausência prolongada.
Neste preciso momento escrevo de uma das muitas salas de computadores desta Universidade, num teclado Inglês. Custa um bocado, pois todos os acentos e cedilhas têm que ser escritos em código... Por isso este post ficará curto, com a promessa de responder, no melhor das minhas capacidades, aos desafios que entretanto chegaram.

1 comentário:

Sabores disse...

De regresso! Bjs