domingo, setembro 09, 2007

ASAE, para que te quero?

Este fim-de-semana, aqui na cidade do Porto, a excelente e sapiente ASAE mandou fechar nove bares e discotecas, semeando um ambiente de tal terror que outros estabelecimentos do género fecharam voluntariamente, não fosse o diabo tecê-las. Mais uma vez o objectivo é proteger-me.
Mas nem nenhum dos meus pais se chama ASAE, nem eu tenho idade para os ter à perna.
Não seria mal pensado abolir as licenças e retirar à ASAE o poder de fechar os estabelecimentos. Um quadro bem visível à entrada de restaurantes, bares, discotecas e afins, onde os inspectores afixariam periodicamente a sua avaliação, seria mais eficaz, na opinião pouco especializada deste teimoso refilão. Imaginemos que abro um pub, e solicito de imediato uma avaliação (que até podia ser uma empresa privada, com boa imagem no mercado). Se algum dos aspectos da avaliação é mau, fico com duas escolhas: espero para ver se a clientela se importa (fazendo a escolha a que têm direito e que o estado insistentemente lhes retira); ou esforço-me por melhorar a vertente em que me saí mal na avaliação. É mais educativo.

5 comentários:

AA disse...

muito bem

Anónimo disse...

Não me estou a imaginar a olhar o "quadro de avaliação" com um daqueles típicos "macacos" à porta...Mas o princípio (o da avaliação) não está mal visto!
PTG

Aves Raras disse...

Nem sempre acontece, mas neste caso aconteceu: subscrevo a 100% o seu post. O que defende os meus direitos e interesses enquanto consumidor é ter mais informação, não ter (mais) uma polícia que se dedica a fechar estabelecimentos.

Sabores disse...

Apesar de terem muita razão no que escrevem, por outro lado, acho que foi importante para empatar aquilo que muitas das "cabeças importantes" de Portugal fazem com o que bem entendem dos seus "conhecimentos" (como foi o caso do "Via-Rápida", do Porto, de João Loureiro).

Rui Caetano disse...

Apesar de estar longe dessa realidade, aquilo que tenho ouvido e lido, considero que tem razão.